Chegam ao Brasil vacinas contra a gripe com cepas atualizadas para 2013

Sanofi Pasteur disponibiliza no Brasil novas vacinas que protegem contra cepas A e B do vírus Influenza.
Publicado em 20/03/2013

Sanofi Pasteur distribui novas vacinas contra cepas A e B.

A partir desta semana as clínicas particulares de vacinação já começam a disponibilizar as vacinas contra a gripe da Sanofi Pasteur, a divisão de vacinas da Sanofi. Por recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS), este ano a vacina vai proteger as pessoas contra as cepas A/Califórnia/7/2009 (H1N1) pdm09; Influenza A/Victoria/361/2011 (H3N2) e Influenza B/Wisconsin/1/2010.

De acordo com estimativas da OMS, a gripe afeta entre 5 e 10% da população adulta e entre 20 e 30% das crianças, provocando entre três a cinco milhões de casos graves e de 250 mil a 500 mil mortes por ano.

No Brasil, a Sanofi Pasteur disponibiliza duas opções de vacinas contra a gripe: a intramuscular e a intradérmica com microinjeção. Ambas são produzidas com vírus inativados e fragmentados, que estimulam a produção de anticorpos contra a gripe e suas complicações.

Indicada para pessoas entre 18 e 59 anos, a vacina intradérmica possui uma agulha com apenas 1,5 mm - 10 a 16 vezes menor que as agulhas normalmente usadas para a vacina intramuscular (de 16 a 25 mm). A microagulha é cerca de 40% mais fina que as usadas em agulhas para aplicações musculares. Seu dispositivo de segurança evita acidentes para aplicadores e pacientes, contaminação e reutilização da agulha.

Já a vacina intramuscular possui três apresentações: uma multidose (dez doses) e duas monodoses com seringa pré-enchida e pronta para uso. Uma vacina monodose para crianças até três anos e outra para crianças a partir desta idade, adolescentes, jovens, adultos e idosos.

Ambas as vacinas protegem contra as duas cepas A e contra a cepa B do vírus Influenza. "A proteção varia de acordo com idade, imunidade adquirida por exposição aos vírus ou vacinas, presença de comorbidades e coberturas vacinais", explica a diretora de Saúde Pública da Sanofi Pasteur, a médica Lucia Bricks. "Mesmo quando a proteção não é completa, a vacina protege contra as formais mais graves da doença, reduzindo à metade o número de hospitalizações e mortes", complementa.

Por