Governo entrega Hospital Municipal Evandro Freire no Rio de Janeiro

O Hospital Municipal Evandro Freire tem capacidade para atender até 900 mil pessoas residentes na região da Ilha do Governador.

Compartilhe

Receba nossa newsletter
Novembro de 2015 Edição do Mês

Com informações da Agência Saúde - Ascom/MS.


A presidenta Dilma Rousseff e o ministro da Saúde Alexandre Padilha inauguram Hospital Municipal Evandro Freire

A presidenta da República, Dilma Rousseff e o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, inauguraram no dia 1º de março, na cidade do Rio de Janeiro, o Hospital Municipal Evandro Freire. A unidade, localizada na Ilha do Governador, beneficiará até 900 mil usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) e conta com 120 leitos, cerca de 800 funcionários e ainda com uma Coordenação de Emergências Regional (CER) para pacientes graves.

Para a construção do hospital foram investidos R$ 57 milhões pelo governo do município do Rio de Janeiro. São 12 mil metros quadrados de área construída em três blocos de quatro pavimentos e um quarto bloco com três andares. Outros R$ 11 milhões foram investidos na aquisição de equipamentos como aparelhos de raio-X, ultrassonografia, tomógrafo, ecocardiograma, videoendoscopia, entre outros.

O Hospital Municipal Evandro Freire passa a integrar a Rede de Urgências e Emergências (RUE) do Ministério da Saúde, que visa qualificar e humanizar e organizar o atendimento de urgência à população. O funcionamento do hospital contribuirá para ampliação do atendimento de urgência, redução de mortes e possíveis sequelas, além de diminuir o tempo de espera nas emergências dos hospitais.

A unidade tem capacidade para a realização de seis mil consultas, 200 cirurgias e 450 internações por mês. Pela localização estratégica - na entrada da Ilha do Governador - o hospital está situado em uma área de fácil acesso à população. O hospital também disponibiliza 15 leitos para internação de dependentes químicos em álcool e drogas - sendo 10 para homens e cinco para mulheres. Esses leitos são custeados pelo Ministério da Saúde, no valor de R$ 67 mil/por leito ao ano.

Para a implantação desta unidade hospitalar, o governo municipal e federal vão investir, anualmente, R$ 55 milhões para o custeio de internações e atendimentos. A contrapartida do Ministério da Saúde será R$ 29 milhões, por ano, sendo R$ 23 milhões para o custeio do hospital e R$ 6 milhões para a Coordenação de Emergências Regional (CER). Serão ofertados à população serviços nas especialidades de Cirurgia Geral, Anestesiologia, Nefrologia e Trauma, principalmente na área de Ortopedia.

Notícias Relacionadas